AMADA AMANTE DOS VERSOS
Sou borboleta, sou metamorfose; sou quase perfeita... sou osmose. Sou Madalena de Jesus.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


COMO FALTOU COMBUSTÍVEL? 


Foi de um modo repentino
Acabaram-se os sonhos 
Penso o medo dos meninos 
Pavor que ao poema transponho

Olhos cegos bruscamente
Bocas com sons inaudíveis 
Campeões foram evidente
Como faltou combustível?

Só corriam rumo ao gol
Traiçoeira morte os driblou
Vai Chape! O mundo gritou.

Sempre reis do futebol
O sonho cedo acabou
Combustível que faltou?


Madalena de Jesus




(Um ano da tragédia da Chapecoense. Uma notícia hedionda que nos fez chorar e que deve ser para sempre lembrada. Oxalá as responsabilidades sejam apontadas e que a justiça seja feita! Ponho-me a pensar em tantas famílias enlutadas. Será que para eles um ano é como se fosse um dia ou como se um dia fossem mil anos? O que eu acredito é que o tempo para eles deve ter gosto de fel. Madalena de Jesus)


 
Maria Madalena de Jesus Gomes
Enviado por Maria Madalena de Jesus Gomes em 29/11/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Os créditos devem ser concedidos à autora Madalena de Jesus. Acessem http://www.madalenadejesus.prosaeverso.net/ e http://madalenadejesus1.blogspot.com.br/). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários